plantas e ervas

Para colorir o tecido no tingimento natural é fundamental que a espécie de planta usada seja tintória. Isto quer dizer que essas plantas devem ter altas concentrações de príncipios ativos que reajam com as moléculas do mordente para se fixarem nas fibras do tecido, colorindo-o. Podem ser usadas diferentes partes da planta: folhas, flores, frutos, sementes, cascas, raízes, cascas do tronco, ramos e serragens. 

 

No meu trabalho com o tingimento natural, utilizo principalmente plantas que encontro pelas ruas de São Paulo como folhas de abacate e de goiaba e a casuarina que é uma espécie de pinheiro. O picão-preto, que é considerado erva-daninha mas é uma excelente planta medicinal e tintória, eu colho nas frestas do meio-fio. Muitas vezes recolho folhas e flores caídas no chão como é o caso das flores de algodoeiro-da-praia, um tipo de hibisco, e das folhas de eucalipto e de chapéu de sol. Aproveito também o que geralmente descartamos na cozinha como casca de cebola, folhas de cenoura, cascas e caroços de abacate e cascas de pinhão. Gosto também de usar as tradicionais plantas tintórias como o urucum, usado pelos índios para pintar seus corpos; a macela, erva medicinal de pequenas flores amarelas que nasce nos campos; a cúrcuma ou açafrão da terra; a anileira, que é o índigo brasileiro – única planta que tinge a cor azul –, e a erva-mate. 

 

A lista é bem grande porque existem muitas espécies que tingem, e muitas dessas espécies também são plantas medicinais usadas com frequência na fitoterapia. Mas sempre dou preferência àquelas plantas que de alguma forma me cercam.    

cores da natureza

A lista de cores a seguir apresenta algumas plantas que funcionam muito bem para o tingimento natural e a impressão botânica. Muitas são espécies brasileiras e outras não, porém fáceis de serem encontradas.  Observe que a mesma planta pode produzir diferentes cores. Isto porque dependendo do mordente que usamos para fixação, o tom muda. Como a macela que, se usamos com o alúmen, colore amarelo e se usamos como o ferro, a cor é verde musgo. Os tons também variam muito dependendo do tipo de tingimento, se impressão botânica ou tingimento tradicional, da quantidade de plantas usada, do tempo imerso na tintura e de muitos outros fatores. As plantas marcadas com * (asterisco) foram testadas somente na impressão botânica.

Viscose tingida com folhas de romã com a técnica de impressão botânica

Azul

Anileira (índigo), erva-moura* (tons azulados)

Avermelhado
Araucária, pau-brasil, barbatimão, folha de figueira*,

folha de café*, eucalipto cinerea*, folha de uva-japonesa*

Cinza e grafite
Erva-mate, barbatimão, picão-preto, casuarina*, goiaba* e chapéu de sol*, pixuruca*, quebra-pedra*

Amarelo
Macela, cúrcuma, carqueja, camomila, folha de cenoura, casca de cebola, folha de cosmos*, grevília*, dente-de-leão*, flor de paineira*

Laranja
Urucum, picão-preto*, cosmos*, líquens*, eucalipto cinerea*

Arroxeado
Amora*, erva-moura*, tapete-inglês*

Esverdeado
Macela+anileira (índigo), romã, repolho roxo, erva-mate, chapéu de sol, folha de cenoura, macela, carqueja*, lágrima de cristo*, joá*

Dourado e Marrom
Hibisco, romã, casca de cebola, picão-preto, eucalipto, rosa, nogueira, araça, chapéu-de-sol, araucária (pinhão e casca), barbatimão, jabuticaba, goiaba, folha da árvore do mangue, flor de ipê*, flor do algodoeiro-da-praia, café

Cinza azulado
Amora, roxinha (serragem), feijão-preto, aroeira vermelha, folha de abacate, lavanda , gerânio*, quaresmeira*

Rosado
Caroço e casca de abacate, aroeira vermelha, embaúba e jabuticaba*

femasca@gmail.com       

 

+55 11 99318-3072

São Paulo, SP, Brasil

  • Grey Instagram Icon
  • Grey Facebook Icon

Copyright 2017 Fernanda Mascarenhas.

Fotos do site de Gil Gosch, exceto as indicadas.